Memorial Vale da Saudade

O Luto Pelos Nossos Animais Queridos

Você provavelmente deve ter vivido processos de luto em relação a perda de um PET querido. Hoje vamos falar sobre as reações que temos diante dessas formas de perda. Iremos destacar similaridades e diferenças que existem quando perdemos pessoas e PETs.

Um projeto do Memorial Vale da Saudade, apresentado por Erasmo Ruiz

Introdução

Hoje vamos falar sobre um assunto que muito provavelmente tocará a maioria de quem está nos ouvindo. Você deve ter tido a experiência de lidar com animais desde a mais tenra infância. Se a sua família nunca permitiu que você tivesse um cão ou um gato em casa, provavelmente um amigo tinha e você brincava com esse animal. Se você tinha esse animal em casa, então ele praticamente se transformava em outro membro da família. Todos nós temos histórias afetivas, emocionantes, muito cheias de amor e carinho em relação aos animais de estimação que hoje a gente se refere como pet.

Assim o vínculo emocional que nós temos com eles, eu diria que é praticamente igual ou similar a aquele que a gente vai constituindo com todas as pessoas que amamos, um vínculo intenso e muito amoroso mas estamos diante de um problema.

Perder um pet

Cães e gatos tem uma média de vida muito menor que a nossa, animais que chegam a catorze, quinze anos de idade chegariam a uma idade tão avançada como se nós tivéssemos vivido oitenta, noventa anos. Significa então dizer que quem tem pets em casa cedo ou tarde terá que passar pelas duras experiências de perda.

Bem, quando nós perdemos esses animais em nossas vidas as reações que teremos diante dessa perda elas serão de luto e não se espante o luto na verdade é uma reação natural que nós temos diante de qualquer perda. Na verdade, expressa a nossa saúde emocional, expressa que nós amamos pois o luto é o preço que pagamos por amar. Entretanto existem algumas diferenças que precisam ser pontuadas. Quando perdemos nossa mãe, nosso irmão, nosso pai, um grande amigo, várias pessoas estarão preparadas pra nos dar apoio, ou seja, numa linguagem da psicologia a gente vai dizer que essas pessoas validam os nossos sentimentos, reconhecem as nossas manifestações de dor e sofrimento.

Entretanto, infelizmente, quando estamos sofrendo pela perda do nosso pet querido essas reações não serão as mesmas. A maioria das pessoas tendem a ver a morte dos animais dos outros como um problema menor e não é raro que muitas vezes as pessoas simplesmente nos digam, isso vai passar logo, coloque um animal no lugar do outro,
existem vários animais em abrigos, vários animais em pet shop que estão disponíveis para adoção. E posso garantir pra vocês ouvir isso é extremamente duro porque o animal não é meramente o animal, mas sim algo que porta o nosso afeto, uma expressão de nós mesmos, daí que as reações frente ao luto são muito parecidas, similares e em algumas circunstâncias até mais intensas de que se a gente tivesse perdido alguém da nossa própria família.

Aliás, de uma certa forma, quando perdemos um pet querido, perdemos um membro da família. Mas em meio a tantas pessoas que não reconhecerão a manifestação do seu sofrimento, em meio a tantas pessoas que não validarão a expressão da sua dor existirão aqueles que terão sempre boas memórias dos animais que passaram por suas vidas e saberão com certeza acolher as suas manifestações de dor e sofrimento. Quando encontrar uma pessoa que tenha essa capacidade e sensibilidade não se acanhe em compartilhar todas as sensações.

Plano funerário Memorial Vale da Saudade
O Luto Pelos Nossos Animais Queridos 1

Rituais similares

Estar enlutado nos coloca o desafio de tentar constituir processos onde a nossa vida volte a ser funcional, onde a nossa vida não se mobilize em meio a tanta dor e ao mesmo tempo encontrar maneiras de botar toda essa dor, todos os seus sentimentos pra fora. Portanto, uma das saídas pra isso é fazer com que os nossos rituais de perda sejam similares à aqueles que a gente vive com pessoas. Por exemplo, eh seria muito interessante que pudéssemos lidar com mais naturalidade de que nossos animais de estimação, os nossos pudessem ser sepultados em cemitérios de animais, que nós tivéssemos um túmulo para visitar, que nós pudéssemos fazer memoriais no espaço das nossas casas, seja com uma fotografia, com uma flor, seja uma casinha de cachorro que não é mais ocupada por animal nenhum, mas que fique como uma referência de que ali viveu o seu melhor amigo. Existem várias possibilidades de destacar a importância que esses animais tiveram em nossas vidas.

Semelhante do que acontece com os seres humanos não há um tempo delimitado para a duração de um luto quando você perde um pet querido. E reflita junto comigo, as pessoas com certeza passarão por vários processos onde elas podem inclusive correr o risco de tornar o luto pela perda de um animal de estimação algo complicado para se viver.
Sei do caso de uma moça que ganhou de presente um um cãozinho aos nove anos de idade e quando ela completou vinte e cinco anos esse cãozinho partiu. Depois de meses e meses essa pessoa infelizmente enfrentou um processo depressivo derivado dessa situação de perda e teve que buscar ajuda.

Sofrimento

Se você está passando por um sofrimento similar não subestime essas manifestações. Se você sentir que precisa de ajuda especializada não se acanhe. Um profissional de psicologia ou de psiquiatria saberá com certeza acolher aquilo que você traz e junto com você encontrar melhores caminhos para lidar com toda essa dor.

Objetivando o acesso a todos que não podem escutar nosso podcast, extraímos o texto para melhor aproveitamento daqueles que preferem a leitura. Caso se interesse por escutar o podcast ThanatosCast, você encontrará nas plataformas Spotfy, Google Podcasts e Youtube.

Conheça o Memorial Vale da Saudade e tenha toda a tranquilidade que você precisa!

Siga nossas redes sociais.

Você já passou pelo processos de luto em relação a perda de um PET?

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments